REDE TV COMERCIO

terça-feira, 20 de fevereiro de 2024

Dengue: DF registra 38 mortes e é a unidade da Federação com mais vítimas

 

As UPAs de Brasília registram alto índice de atendimentos pela doença - (crédito: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

O DISTRITO FEDERAL REGISTROU 81.408 CASOS PROVÁVEIS DE DENGUE E 72 ÓBITOS SUSPEITOS ESTÃO EM INVESTIGAÇÃO

Com 38 mortes por dengue, o Distrito Federal é a unidade federativa com mais vítimas da doença. Segundo a Secretaria de Saúde do DF, há ainda 72 óbitos suspeitos em investigação e e 81.408 casos prováveis da doença. Os dados foram atualizados na segunda-feira (19/2). Ceilândia apresenta o maior número de casos prováveis (14.718), seguida de Taguatinga (4.428), Sol Nascente/Pôr do Sol (4.352), Brazlândia (4.069) e Samambaia (3.378).

Em relação ao perfil dos casos prováveis de dengue no DF, observa-se a maior incidência em mulheres, com 2.611 casos por 100 mil habitantes. Já o grupo etário com maior incidência da doença está na faixa de 20 a 29 anos, com 2.865 casos por 100 mil habitantes, seguido pelos grupos etários de 70 a 79 anos e 50 a 59 anos.

A pasta destaca que fatores como idade, presença de comorbidades e infecção secundária podem determinar a gravidade da doença. "Crianças mais novas, particularmente, podem ser menos capazes que adultos de compensar o extravasamento capilar e estão, consequentemente, em maior risco de choque por dengue. Também dentro do grupo em maior risco estão indivíduos acima de 65 anos, pois são mais vulneráveis às complicações por possuírem sistema imunológico menos eficiente, pela possível existência de doenças associadas e até pelo fato de se desidratarem com mais facilidade", informa a Secretaria.

Além disso, a Secretária de Saúde do DF pontua que a dengue é uma doença viral transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A transmissão do vírus se dá pela picada da fêmea. O mosquito é urbano, diurno e se reproduz em depósitos de água parada. O período do ano com maior transmissão da doença ocorre nos meses mais chuvosos.

"O acúmulo de água parada contribui para a proliferação do mosquito e, assim, para a maior disseminação da doença. Por esse motivo, é importante evitar água parada, porque os ovos do mosquito podem sobreviver por um ano no ambiente", destaca a pasta.

Vacinação

A vacinação de crianças de 10 a 11 anos contra a dengue pelo Sistema Único de Saúde (SUS) teve início no dia 9 de fevereiro. A ministra da Saúde Nísia Trindade acompanhou a imunização na Unidade Básica de Saúde 1 do Cruzeiro, no Distrito Federal, e ressaltou a importância da nova fase. “É um momento histórico. Há 40 anos se espera por uma vacina para a dengue. Já houve vacina desenvolvida, não tão bem sucedida, e agora temos uma incorporada ao SUS”, disse.

No mesmo dia, o Ministério da Saúde anunciou a ampliação dos recursos reservados para apoiar estados, municípios e o Distrito Federal no enfrentamento de emergências, como a alta de casos de dengue no país, para R$ 1,5 bilhão.

Fonte:  https://www.correiobraziliense.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário