Lima Souza news

Lima Souza news

radio

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2022

O ex-presidente da AMAB Hildo do Candango, comenta sobre o aumento da passagem na Região Metropolitana do Distrito Federal

 

Hildo do Candango, sempre esteve à frente dessa luta para que jamais obtivesse esse aumento


 


Hildo do Candango, ex-prefeito de Águas Lindas de Goiás, durante o período em que foi presidente da Associação dos Municípios Adjacentes de Brasília, sempre lutou contra o aumento da passagem da Região Metropolitana do Distrito Federal, e também contra o sistema.

 

A ANTT é um órgão completamente distante da realidade dos municípios. É um órgão que não é sensível à realidade do povo que mora no entorno. A Região Metropolitana do Distrito Federal, infelizmente, não tem representação política.


 

E essa falta de representação política, se dá tanto na Câmara Federal, como também no estado. Ambos não lutam para defender uma passagem mais justa, e um transporte de mais qualidade.

 

Os prefeitos do entorno são limitados pela constituição, e a única coisa em que está ao alcance é reclamar, para que não haja esse aumento. Mas infelizmente o poder eles não tem.

 

Pois a constituição limita os poderes deles ao município, e como o transporte do entorno é semi urbano, é regulamentado pela ANTT, ou seja ele envolve um órgão do governo federal.

 

Hildo do Candango, foi um dos prefeitos que encabeçou o movimento pelo fim do monopólio do transporte e pela melhoria do serviço, e lutou para que houvesse a integração com a rede do GDF, como metrô e circulares,  pagando assim apenas um só passagem.

Na época os 12 municípios assinaram a intenção, e  tinha o apoio da ANNT, mas faltou o GDF. Que na época era governado pelo  ex-governador Rodrigo Rollemberg, que não assinou, e engavetou o projeto.

 

 

A questão do transporte tem que ser assumida de fato, pois quem mais sofre com isso são os trabalhadores, que são reféns do transporte público.

 

Nossa equipe entrou em contato com a ANTT mas até o momento não obteve retorno.

 

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário